Setembro Amarelo é o mês dedicado a conscientização do suicídio, que em 90% dos casos pode ser prevenível e tem íntima ligação com saúde mental e transtornos como depressão. A campanha começou no ano de 2014 em parceria com o Conselho Federal de Medicina, para abordar além do tema da prevenção de suicídios a diminuição do estigma relacionado ao assunto, em busca de disseminar informação correta.

Segundo, https://www.setembroamarelo.com/, o site oficial da campanha no Brasil, é registrado cerca de 12 mil suicídios por ano no país, e a maioria deles acontece entre os jovens. Mais de 96% dos casos estão relacionados a transtornos mentais, primeiramente a depressão, seguida de transtorno bipolar e abuso de substâncias.

Abrir espaço para diálogos sobre suicídio e sofrimento de forma que seja sem preconceito e procurar ajuda especializada traz alivio e conforto, além disso também é importante ficar atento e conhecer os principais fatores de risco e sinais de alerta, podem também ajudar na prevenção. Diagnóstico de transtorno mental é o principal risco em casos de suicídios; histórico pessoal, pois indivíduos que já tentaram suicídio tem de cinco a sete vezes mais chances de tentar novamente; acontecimento estressores e impulsividade, já que muitas vezes o ato pode partir de um evento negativo principalmente entre os jovens e sendo assim alguns meios acessíveis para isso acontecer acaba se transformando em risco também, como armas de fogo, medicamento em grande quantidade entre outros.

Alguns sinais de alerta mais sutis quando se manifestam com frequência também são fatores de risco, como baixa autoestima, isolamento social, abuso de álcool ou outras drogas, mudanças bruscas de humor e diminuição do autocuidado.

Por motivos culturais e históricos o tema sempre sofreu estigma e tabu, logo incentivar o outro a procurar ajuda especializada, capacitar profissionais de saúde, promover políticas de saúde que promova a qualidade de vida e prevenção dos fatores de risco e usar termos e abordagem adequadas por parte da imprensa são algumas estratégias para combatermos o suicídio no Brasil e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *