O Outubro Rosa é uma campanha mundial com a intenção de conscientizar a sociedade para a prevenção e diagnóstico precoce do Câncer de Mama, além de alertar sobre o direito de um tratamento e o suporte emocional adequados. Segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer) o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino.  Foi estimado pelo instituto cerca de 59.700 casos novos para o ano de 2019, e um risco estimado de 56 casos para cada 100 mil mulheres.

 

Infelizmente o câncer de mama não há uma causa específica e única, existe alguns fatores que associados aumentam o risco de desenvolvimento da doença. O fator idade é um deles, pois o risco aumenta à medida que se envelhece. Outros elementos que contribuem são a menarca precoce (primeira menstruação), menopausa tardia, gestação com idade avançada,  a não amamentação e o uso de reposição hormonal são fatores associados ao risco. História familiar são responsáveis por menos de 10% dos cânceres de mama, porém o risco aumenta quando os parentes acometidos são de primeiro grau

 

Fique atento aos principais sintomas:

♥ Caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor;

♥ Pele de mama avermelhada ou com aspecto de casca de laranja;

♥  Alteração no bico do peito (mamilo);

♥ Saída de líquido espontânea de um dos mamilos;

♥  Presença de pequenos nódulos na axila e pescoço.

 

Se por um lado há fatores de risco, por outro existe fatores de prevenção. A mudança no estilo de vida pode reduzir cerca de 28% os casos de câncer de mama. A ingestão excessiva de álcool altera os níveis hormonais, a exemplo do estrogênio; a manutenção do peso corporal com um IMC (índice de massa corporal) não ultrapasse de 25, diminuindo assim a liberação de fatores pró-inflamatórios e a amamentação também é considerada um elemento protetor.

 

O principal objetivo da campanha é a conscientização, dessa forma é fundamental que as mulheres fiquem atenta a qualquer alteração nas mamas, principalmente através da palpação correta no dia a dia. Além disso é recomendado pelo Ministério da Saúde que mulheres entre 50 e 69 anos realizem mamografia pelo menos a cada dois anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *