Segundo a Resolução nº145 de 21 de março de 2017, a ANVISA proíbe a partir de 1 de janeiro de 2019,a fabricação, importação, comercialização e uso em serviços de saúde, dos termômetros e esfigmomanômetros com coluna de mercúrio, em todo território Brasileiro.

Essa resolução é resultado da Convenção de Minamata, assinada pelo Brasil no em 2013, que visa a eliminação do mercúrio em diferentes produtos como pilhas, lâmpadas, equipamentos para saúde entre outros.

Entretanto, a proibição não se aplica a produtos para pesquisa e para calibração de instrumentos ou uso como padrão de referência. Assim, os serviços de saúde que possuírem medidores de pressão ou termômetros de coluna de mercúrio utilizados como padrão de referência para calibração interna de outros equipamentos deverão identificar esses produtos com os dizeres: “Produto utilizado como padrão de referência para calibração”.

 

RISCO A SAÚDE HUMANA E AO MEIO AMBIENTE

Um dos grandes desafios contemporâneos é discutir a associação entre meio ambiente e saúde pública. A contaminação ambiental afeta seres humanos e animais.

A exposição do mercúrio pode se dar através da ingestão de peixes e vegetais por eles acumulados, ou mesmo pelo uso de alguns tipos de cosméticos, produtos de higiene pessoal, lâmpadas fluorescentes, tintas, baterias e os termômetros.

A exposição de apenas 1,2 mg de mercúrio por algumas horas pode causar bronquite química até mesmo fibrose pulmonar. Em caso de inalação do metal, o sistemas imunológico e sistema nervoso central podem vim a ser danificados, assim como tireoide, rins, pulmões e olhos. Os sintomas incluem desde tremores, insônia, perda de memória, dores de cabeça, até mesmo disfunção motora, distúrbios neurológicos e comportamentais.

USO DOMÉSTICO DO TERMÔMETRO DE MERCÚRIO

Os termômetros digitais já vêm substituindo os termômetros com mercúrio há alguns anos, no entanto, como é um produto sem prazo de validade, é possível que algumas pessoas ainda tenham este tipo de artigo em casa. A quantidade de mercúrio presente não chega a ser comprometedora, e dessa forma a resolução veta o uso do termômetro de mercúrio para quem já possui o equipamento.

Caso o aparelho perda seu bom estado para uso ou sua integridade, alguns cuidados são necessários para evitar o contato com o metal e danos à saúde:

  •  Isolar o local e não permitir que crianças brinquem com as bolinhas de mercúrio;
  • Abrir as janelas para arejar o ambiente;
  • Recolher com cuidado os restos de vidro em toalha de papel ou luvas e colocar em recipiente resistente à ruptura, para evitar ferimento;
  • Localizar as bolinhas de mercúrio e juntá-las com cuidado, utilizando um papel cartão ou similar, para evitar o contato da pele. – Recolher as gotas de mercúrio com uma seringa sem agulha. As gotas menores podem ser recolhidas com uma fita adesiva;
  • Transferir o mercúrio recolhido para um recipiente de plástico duro e resistente ou vidro, colocar água até cobrir completamente o mercúrio a fim de minimizar a formação de vapores de mercúrio, e fechar o recipiente;
  • Identificar/rotular o recipiente, escrevendo na parte externa “Resíduos tóxicos contendo mercúrio”;
  • Não usar aspirador, pois isso vai acelerar a evaporação do mercúrio, assim como contaminar outros resíduos contidos no aspirador.

3 thoughts on “ANVISA PROÍBE termômetro e medidor de pressão com mercúrio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *