Sabemos que o coronavírus como é chamado popularmente ou Sars-Cov-2, nome oficial escolhido pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que teve origem na China e foi reconhecido como Pandemia declarada em 11 de março de 2020, situação em que determinada doença infecciosa ameaça muitas pessoas ao mesmo tempo em todo o mundo.

De uma forma resumida o que se sabe sobre a nova doença é sua forma de transmissão, sinais e sintomas. Por se tratar de uma doença respiratória, ela é transmitida através de gotículas expelidas pela fala, tosse ou espirro de pessoas doentes; a infecção se dá quando estas gotículas entram em contato com a mucosa dos olhos, nariz e boca, porém o desafio em sua transmissão se dá no fato de que que pessoas assintomáticas também podem transmitir a doença, dificultando assim saber quem está contaminado e disseminando o vírus.

Por tratar-se de uma Síndrome Respiratória seus principais sinais e sintomas são febre alta, tosse seca e falta de ar, esse último necessita de intervenção hospitalar e em muitos casos o uso de respiração mecânica é a única forma de tratamento. Além disso também é observado diarreia e náuseas, perda do olfato e paladar e conjuntivite.

Enquanto pesquisadores do mundo correm contra o tempo em busca de uma vacina ou um tratamento curativo, a única alternativa que se tem é o isolamento social. Entenda sua importância; o isolamento social reduz a taxa de transmissão, pois, cada pessoa infectada, tendo contato com um número menor de outras pessoas, infecta menos pessoas. Com isso, há redução importante na velocidade de propagação da doença. Dessa forma com um número menor de pessoas adoecendo simultaneamente e precisando de assistência hospitalar cai também e dessa forma as unidades de saúde conseguem evitar a sobrecarga dos leitos e equipamentos de ventilação mecânica.

Outra medida que vem sendo amplamente divulgada é o uso de máscaras ao sair de casa, como as máscaras cirúrgicas são recomendadas para uso em profissionais de saúde e os doentes, os usos das máscaras ditas “caseiras”, feitas de tecidos, estão sendo usadas na forma de prevenção; elas não possuem a mesma capacidade de filtração, porém criam uma barreira física e diminui a probabilidade de contágio do vírus. Porém fiquem atentos a forma correta de usar: é preciso fazer a higienização das mãos, seja com sabão e água ou álcool gel, antes de colocar a máscara e depois que retirar; toda vez que a pessoa toca na máscara essa parte do seu corpo (mão) também fica contaminada e após o uso ela deve ser lavada com água e sabão, álcool 70% ou hipoclorito – composto químico usado como desinfetante; e se, depois disso, a máscara ainda preservar suas características originais, pode ser reutilizada.

A higienização das mãos é uma medida importante no combate da doença, pois é ela que pode levar o vírus presente em superfícies para nosso rosto e mucosa. A lavagem das mãos deve ser feita prioritariamente com água e sabão líquido, porém o uso do Álcool Gel foi incorporado na rotina de prevenção do novo coronavírus, principalmente por ser fácil de levar na bolsa/bolso e ser usado ao longo do dia.

Outras medidas simples também podem ser realizadas para trazer mais segurança a todos, são elas: evitar tocar no rosto com as mãos não higienizadas, manter uma distância de 1,5m entre as pessoas, higienize com frequência o celular pois levamos sempre ele ao rosto, não compartilhe o uso de objetos pessoais e evite cumprimentos com beijos e abraços.

Se cuidem!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *