O QUE É LUPUS?
Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), ou popularmente conhecido apenas como Lúpus, é uma doença rara, autoimune, que pode acometer diversos órgãos e tecidos do nosso organismo, como pele, rins, articulações e cérebro.
Mas o que são doenças autoimunes? São doenças em que o sistema imunológico, sistema de defesa do organismo, agride tecidos saudáveis do próprio corpo. Suas causas ainda não completamente conhecidas, mas sabe-se que fatores genéticos e o uso de medicamentos são fatores que contribuem para o seu surgimento. A maioria dessas doenças, incluindo o Lúpus, são crônicas, ou seja, não transmissíveis e não tem cura, mas podem ser controladas com tratamento.

TIPOS DE LUPUS

O Lúpus pode se apresentar em formas diferentes no organismo das pessoas, as principais formas da doença são:

  • Lúpus Discoide: esse tipo fica limitado a sinais e sintomas na pele. Pode ser identificado com o surgimento de lesões avermelhadas com tamanhos, formatos e colorações específicas na pele, especialmente no rosto, na nuca e/ou no coro cabeludo.
  • Lúpus Sistêmico: o tipo mais comum, e não se restringe apenas a pele, a inflamação ocorre em todo o organismo e pode comprometer vários órgãos e tecidos, pode ainda ser leve ou grave.
  • Lúpus induzido por drogas: acontece quando algum medicamento ou alguma substância em uso pode provocar sinais e sintomas parecidos com o de Lúpus Sistêmico, no entanto a doença desaparece ao final do uso de tal droga.
  • Lúpus Neonatal: a forma mais rara da doença, acomete recém-nascidos de mães portadoras de lúpus, é causada quando anticorpos da mãe passa para o filho ainda no útero, a criança pode apresentar erupções na pele, problemas no fígado ou baixa contagem de células sanguíneas, mas esses sintomas tendem a desaparecer naturalmente após alguns meses.

QUAIS AS CAUSAS DO LÚPUS?

Como já dito anteriormente, por se tratar de uma doença autoimune, sua causa especifica ainda é desconhecida, porém estudos indicam que a combinação de diversos fatores podem contribuir para o seu surgimento, tais como: hormonal, infecciosos, genético e ambiental. A exposição a luz solar é um fator que merece destaque, exposição inadequada e em horários inapropriados, pode iniciar ou agravar uma inflamação preexistente a desenvolver o Lúpus. Além disso, esse tipo de postura também pode provocar câncer de pele.

SINAIS E SINTOMAS DO LÚPUS, VOCÊ CONHECE?

Fiquem atentos, o lúpus sistêmico pode se manifestar de diferentes formas, de acordo com o órgão afetado, e isso, às vezes, retarda seu diagnóstico. Podem ainda surgir de repente ou lentamente, de forma moderada ou grave. De forma geral, os pacientes apresentam sintomas moderados, que surgem esporadicamente, em crises, nas quais os sintomas se agravam por um tempo e depois desaparecem.

Seus principais sintomas, são:

  • Dor nas articulações.
  • Rigidez muscular e inchaços.
  • Rash cutâneo – trata-se de uma vermelhidão na face em forma de “borboleta” sobre as bochechas e a ponta do nariz. Afeta cerca de metade das pessoas com lúpus. O rash piora com a luz do sol e também pode ser generalizado.
  • Lesões na pele que surgem ou pioram quando expostas ao sol.
  • Dificuldade para respirar.
  • Dor no peito ao inspirar profundamente.
  • Sensibilidade à luz do sol.
  • Dor de cabeça,confusão mental e perda de memória.
  • Queda de cabelo.
  • Feridas na boca.
  • Desconforto geral, ansiedade e mal-estar.

IMPORTANTE: Lúpus com manifestações graves também podem acarretar outras complicações como anemia hemolítica, amplo envolvimento cardíaco ou pulmonar, doença renal ou comprometimento do sistema nervoso central, necessitando de um tratamento específico.

COMO É FEITO O TRATAMENTO E DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico do lúpus ainda é um desafio, pois ainda não existe nenhum exame ou teste específico, exames de sangue, urina, radiografia do tórax, biopsia renal e exame físico com história pregressa e sintomatologia apresentada podem ser usados para concluir um diagnóstico de lúpus.

Por se tratar de uma doença crônica, seu tratamento é paliativo, controlando os sintomas e melhorando a qualidade de vida das pessoas. É diferenciado para cada caso, conforme os níveis de intensidade e agressividade da doença. Dessa forma são usado anti-inflamatórios para artrites e pleurisia, protetor solar para lesões na pele, corticoide tópico e antimalárica (hidroxicloroquina) e corticoides de baixa dosagem para os sintomas de pele e artrite.

PREVENÇÃO!!

 Ainda não existe nenhuma forma específica, já que se trata de uma doença por se tratar de uma doença com predisposição genética. A exposição ao sol deve ser feita do forma saudável, com uso de protetor solar e em horários, antes das 10 horas e depois das 16:30h, para prevenção de lúpus e outras doenças de pele. O cigarro deve ser evitado, pois diminui a eficácia do tratamento e aumenta a atividade da doença.

A gravidez pode levar a piora do lúpus, além de oferecer risco para aborto; logo se a doença não tiver controlada, a gestação deve ser adiada.

Ter hábitos e estilo de vida saudáveis, realizar atividade física moderada, descansar bastante e ter hábitos de vida saudáveis são cuidados essenciais para uma vida saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *